quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Pedal Resende RJ x Carlos Euler MG

Pedal Resende x Carlos Euler MG , via Vargem grande , Fumaça e Espraiado.‏ Como estou de férias, tenho podido fazer alguns pedais durante a semana, mas esse eu decidí de última hora, tive a idéia e tratei de por logo em prática. Minha intenção inicial era ir só, e somente só até Passa vinte MG, que por si só já é um pedal bem cansativo, mas depois mudei de idéia. Também pensei em ir só, porém como o Jefferson também está de férias, resolví convidá-lo, ele aceitou prontamente o convite. Nos reunimos em minha casa, e de lá seguimos rapidamente em direção a Vargem Grande. Logo no início já pegamos chuva, fiquei meio desanimado, pensei até em desistir e voltar, porém para minha sorte o Jeffinho é um cara muito tranquilo e determinado, e me animou a seguir em frente, porém caso a chuva persistisse iríamos só até a Fumaça. Mas demos sorte, São Pedro colaborou conosco, e não choveu mais, na ida só pegamos tempo nublado, o que favoreceu em muito nosso pedal. Correu tudo bem, só breves paradas na vargem grande e Fumaça para lanche e descanso. Resolvemos seguir para Passa Vinte via espraiado, e apesar da terra molhada tornar o pedal mais cansativo, seguimos num bom ritimo até lá. Já próximo a entrada que dá acesso a Passa Vinte, eu mudei de idéia, resolvi ir até Carlos Euler, no alto da serra da Carapuça. Confesso aos senhores, que me enganei com a kilometragem, sabia que teria que subir, mas não tanto. Foram 10 kms de subida, até chegar ao lugarejo. O subidão da Serra da carapuça, lembra um pouco o do Mauá pois não é muito íngreme, sobe aos poucos, a região também é muito bonita, temos lindos visuais, sendo que o que mais gostei foi a vista do fundo do vale com um imenso viaduto da ferrovia do aço passando por cima, tiramos lindas fotos desse local, confiram. Porém essa estrada do subidão é extremamente deserta, não passa carro de jeito nenhum, e mesmo pessoas vimos poucas, tem hora que chega a dar agonia, também tem muitos buracos, valetas e trechos lamacentos. Subimos, subimos e subimos e nada de Carlos Euler. Chegamos a perguntar, para 2 transeuntes que encontramos ao logo do caminho, os 2 responderam prontamente que estavámos bem perto, faltavam poucos kms, era logo ali. Só mais tarde me dei conta que estávamos em Minas Gerais, e o "logo ali" dos mineiros tem muitos mais kms que o nosso. Continuamos subindo, subindo e subindo, já estava desanimado, pensei até em dar meia volta e descer a serra, mas estávamos muito cansados e sobretudo com muita fome, não tínhamos como voltar, pois precisávamos urgentemente de um prato de comida. Para nós não havia opção, era subir ou subir. De repente no meio do subidão nos depramos com um cruzamento de linha férrea, que estranho, dá a impressão que a linha sai de repente do meio do nada, com a desculpa de tirar fotos, nós descansamos um pouquinho nesse local, mas logo recomeçamo a subir. Já estava extremamente desanimado, até um pouco tenso, mas eis que de repente depois de uma curva surge o lugarejo, ou seja Carlos Euler, a região é bonita, bem alta, fria e com muitas araúcarias, porém o lugarejo em si, é bem triste, com um ar de decadência e muitas contruções fechadas, abandonadas e em péssimo estado de conservação. Muitos vagões de trem ficam parados na linha férrea paralela a rua principal. Pedimos informações e soubemos de um bar que servia refeições, corremos para lá e para nossa sorte fomos muito bem atendidos, e a comida estava muito boa, e repôs nossas energias que estavam praticamente esgotadas. Enfim apesar desse pedal ter sido bem mais cascudo e cansativo do que eu esperava, valeu muito a pena, foi uma superação chegar nesse lugar perdido no alto da serra, além do mais conhecemos mais um cantinho praticamente desconhecido da nossa região. A volta foi mais tranquila, a descida da serra uma delícia, nosso retorno correu bem, porém estávamos extremamente cansados, foi dureza chegar até Resende. Mas devagar e sempre conseguimos. Agradeço ao Jefferson pela companhia, e sobretudo pela paciência e resignação pois sofreu calado durante todo o subidão.

2 comentários:

Michel Schanuel Girardi disse...

É isso aí Jorge, tem que aproveitar ao máximo as férias. Esse lugar é bem bonito, ótimo para um pedal. Se quiser pedalar aki por VR e proximidades, é só falar!

Abração

Gelvani disse...

adorei as fotos sou de la mas faz tempo que não vou.matei um pouco a saudade!!!!!!!!