sábado, 7 de janeiro de 2012

CRAZY RIDE , CICLOVIAJEM DE 5 DIAS : RESENDE RJ X SERRA DO M X BOCAINA DE MINAS X LIBERDADE X CARVALHOS X AIRUOCA X CACHOEIRA DO CANYON X MIRANTE DO RETIRO DOS PEDROS (ESCALADA ) X CACHOEIRA DOS GARCIAS X AIRUOCA X ALAGOA X BERTA X MONTE BELO X 2 IRMÃOS X SANTO ANTÔNIO DO RIO GRANDE X MIRANTÃO X MAUÁ X CAPELINHA X RESENDE RJ.


    Chegamos a Bocaina de minas , debaixo de muita chuva.    Estava até difícil ver de longe a cidade.
 PRIMEIRO DIA :  RESENDE RJ X LIBERDADE MG , PASSANDO PELA SERRA DO M.

 Estava planejando essa cicloviajem já faz um bom tempo , estava pensando em ir até são Tomé das letras, o Jefferson , Alexa e seu irmão Olaf  toparam ir comigo.    O Jeffinho sugeriu  que ao chegarmos a Bocaina de Minas , cortássemos caminho e fôssemos até Carvalhos passando por Franceses e pela serra de aparecidinha ( muito cascuda ) .    Adorei a sugestão pois essa trajeto passa ao lado da famosa e bonita cachoeira da estiva , que tenho muita vontade de conhecer.      Tudo decidido , tudo planejado, tudo pronto.     Finalmente chegou o dia da partida !!!    Hummm !!!   Que decepção !!!    Estava chovendo demais !!!     Me resignei , achei que nossa viajem teria de ser adiada.    Cheguei até a deitar  de novo e ficar me distraindo no facebook.    De repente ví no face uma mensagem do Jeffinho dizendo que já estava saindo.     Caramba !!!    Iríamos mesmo com chuva forte !!!    Fiquei um pouco preocupado e apreensivo , mas vestí minha capa de chuva e segui com eles.        No começo estranhei muito , pois até então nunca havia pedalado o dia inteiro sob chuva e usando capa, mas valeu , apesar dos perrengues foi legal, fiquei mais descolado.     Dessa parte nem tenho muitas  fotos para mostrar, só tenho a dizer que os subidões até Bocaina de minas foram bem cansativos, ainda mais que havia lama.      Chegamos a Bocaina num estado lamentável , sujos de lama , molhados , cansados  e famintos.      Tudo isso logo se resolveu com a deliciosa comida do restaurante do João Grande.    Energias repostas , era hora de continuar , seguimos sob chuva forte e constante até Liberdade, via asfalto.    Desistimos da idéia de ir direto a Carvalhos passando pela serra da aparecidinha, porque o tempo estava feio demais, além disso o irmão da Alexa não estava muito bem.       Chegamos em Liberdade , debaixo de um dilúvio...rss...rss.... Nos acomodamos no hotel, e finalmente tivemos nosso merecido repouso.    Mais tarde , à noite , saímos para jantar , e como sempre conversamos com os moradores locais , que são muito receptivos.    Fomos recebidos pelo próprio secretário de turismo de Liberdade, que estava tomando umas pinguinhas, foi muito gentil e nos ofereceu uma rodade de cachaça pura, por motivos óbvios tivemos que declinar do convite...rss...rss.... mas ele era super gente boa , entendeu a situação e nos pagou uma garrafa de coca cola ( 2  litros ).     Após isso fomos dormir , cansados mas felizes, e torcendo para que são Pedro fechasse as torneiras do céu.

   
    SEGUNDO DIA :  LIBERDADE X AIRUOCA  ( OBS. DIA DE SOL E MUITO BONITO )

             Após uma revigorante noite de sono , acordamos.    Abri a janela , e para minha surpresa e alegria , amanheceu sem chuva , embora o tempo ainda estivesse um pouquinho carregado.     Nos preparamos , tomamos nosso café super reforçado e, seguimos rumo a Carvalhos.     Nosso amigo Olaf , não estava muito bem , estava sofrendo com problemas intestinais, mas mesmo assim tomou uns remédios e seguiu firme e forte com a gente.    Ele é super animado e raçudo , nem parecia que estava doente, muitas vezes deixou a gente para trás.       Pegamos um pequeníssimo trecho de asfalto e pouco tempo depois já estávamos novamente em estrada de terra.     Como sempre acontece passamos por lugares bonitos, sendo que o meu preferido nesse trecho ( Liberdade x Carvalhos ) foi o pico do Muquem , e a outra montanha ao seu lado que lembra muito o Pão de açucar do Rio de janeiro.      Para nossa sorte a chuva sumiu de vez e tivemos um dia muito bonito e , com um pouco de brisa.     Chegamos relativamente rápido e bem em Carvalhos , onde fizemos um rápido lanche e descanso , e logo a seguir rumamos para Airuoca.    Pedalamos bastante, é longe, e depois de algum tempo enfrentamos muitas subidas , algumas bem cascudas e cansativas.      Depois de muito subirmos , finalmente chegamos no topo e , de lá avistamos ao longe a cidade e o famoso pico da pedra do Papagaio.    Essa região é bonita demais, tem inúmeros atrativos, estar ali foi um privilégio.    Descemos rápido em direção a cidade, e a medida que nos aproximávamos , as vistas da montanha iam ficando cada vez mais bonitas.     Lá chegando tratamos logo de procurar uma pousada e almoçar muito bem  pois o dia seguinte seria bastante cansativo.      Almoçamos , depois fomos descansar.
Mais tarde demos um giro pela cidade e aproveitamos também para planejar os passeios pela região no dia seguinte (ficamos 2 dias nessa cidade ).
                                         Serra do Muquem .    Reparem que o pico mais à direita é muito parecido como o Pão de açucar.



                                         Ao fundo a cidade de Airuoca.


        TERCEIRO DIA :  AIRUOCA X POUSADA DO LADO DE LÁ X CACHOEIRA DO CANYON X MIRANTE DOS PEDROS  X CACHOEIRA DOS GARCIAS X  AIRUOCA.

            O dia amanheceu muito bonito , apesar da chuva que caiu durante a noite , porém nosso plano de escalar a pedra do papagaio foi deixado de lado pois os guias que contactamos nos dissuadiram de tal idéia.    Disseram que as trilhas estariam lamacentas e escorregadias.    Aconselharam nos a subir até o mirante dos Pedros, que é um pico que tem uma visão de praticamente 360 graus de toda a região, de lá dá para avistar até o pico das agulhas negras, depois do mirante iríamos até a famosa cachoeira dos Garcias , que também se localiza bem no alto das montanhas.        Iniciamos nosso pedal , foram subidas , subidas e mais subidas , foi bem cansativo e demorou muito , mas valeu a pena , passamos por lugares muito bonitos , inclusive passamos bem pertinho do pico do papagaio, além disso as vistas que tivemos eram magníficas , dava pra ver praticamente todo  o sul de minas.      O subidão é de fato extremamente cascudo ,porém a estrada é boa e nos trechos mais íngremes é calçada com pedras.       É claro que tiramos muitas fotos , a primeira delas foi quando passamos bem ao lado do pico.    Essa montanha é bonita demais , estar lá foi um privilégio.       Depois de um bom tempo e, muito subir chegamos num ponto em que a estrada acabava e começava uma trilha , pensamos que era a trilha para o mirante dos Pedros, andamos um pouco e logo chegamos numa pousada muito bonita mas que estava deserta , não havia viva alma lá.   Era a pousada lado de lá , que fica bem ao lado da cachoeira do canyon.    Nesse caso até que foi bom errar o caminho, pois conhecemos um lugar bonito , isolado e com uma vista fantástica.       Depois de algumas fotos  e descanso retomamos o caminho  , novamente subimos muito e dessa vez empurrando as bikes.         A certa altura da trilha as vistas começaram a ficar  impressionantes, mas não conseguíamos ver a serra de Itatiaia.     Me desgarrei do grupo e fui na frente e depois de passar por umas enormes pedras me deparei com outro mirante com uma vista ainda mais espetacular , e aí sim , finalmente avistei ao longe e bem mais alto que os demais , a serra de Itaitaia e os picos.   Tudo devidamente registrado em belas fotos.
Estar lá em cima , foi bom demais , mas descer era preciso pois ainda havia a cachoeira para visitar, embora dessa vez fosse tudo bem mais tranquilo pois agora seria só descer , descer e descer.     No meio da descida em direção a cachoeira encontramos dois ciclistas que estavam fazendo o caminho da fé , aquele que sai de Passa quatro.       Finalmente avistamos a cachoeira, de fato é bonita e impressionante, fiquei feliz , mas, ao mesmo tempo preocupado pois a cachoeira se localiza bem no fundo de um vale, descer seria facílimo , porém para voltar a estrada principal seria outra escalada.   Nada disso nos desanimou , e logo já estávamos tomando banho na cachoeira dos Garcias, é bem alta e com bom volume de água .    Hummm !!!   Que delícia !!!   Finalmente, após horas de perrengues, tivemos SOMBRA E ÁGUA FRESCA ...rss...rss... Foi bom demais , e na hora de sair da água e voltar deu até vontade de chorar ...rss...rss.... O alemão foi o que mais reclamou , achou que ficamos pouco tempo.    Mas fazer o quê ???      Retornar era preciso !!!       Enfrentamos um subidão , felizmente curto, e pouco tempo depois já estávamos novamente na estrada principal , e o que é melhor , só descendo ...rss..  Fiquei impressionado , a medida que descemos é que constatei o quanto  havíamos subido .    A cidade fica exatamente no fundo do vale.     O descidão foi uma delícia , lavamos a alma , e depois que saímos no estradão deu para correr muito , pois é muito lisinha e sem buracos, quando chegamos no asfalto  então nem se fala , voamos literalmente.   Foi um dia exaustivo, mas foi bom demais , com certeza a melhor parte de nosso passeio, tomamos uma OVERDOSE  de lugares bonitos e interessantes.
    Os trechos mais íngremes são calcados com pedras.
    Passamos praticamente ao lado do pico da pedra do papagaio.
    Erramos o caminho e acabamos chegando na pousada lado de lá , juntinho da cachoeira do canyon.


    Cachoeira do canyon , vista frontal.
     No mirante finalmente consegui avistar a serra de Itatiaia .
    A vista é bonita demais.
    Essa foto ficou bem legal.
    Campos de altitude.
    No caminho para a cachoeira dos Garcias encontramos com essa casal de ciclistas que estavam fazendo o caminho da fé , aquele que sai de passa quatro.
                      Cachoeira dos Garcias.
                      Aleluia !!!   Finalmente , descanso , sombra e água fresca ...rss...
                      Trio parada dura.     Caramba !!!   Não foi mole acompanhar o ritmo desses 3 , tive que suar muito a camisa ....rss...rss...

     Do alto dessas montanhas dá para se ver praticamente toda a região do sul de minas .                                             


   






    O que antes eram subidões cascudos e intermináveis  se tornaram uma deliciosa descida.


QUARTO DIA :   AIRUOCA X ALAGOA X BERTA X MONTE BELO X 2 IRMÃOS X SANTO ANTÔNIO DO RIO GRANDE. 
Acordamos, e mais uma vez fomos agraciados com um dia bonito e ensolarado, bom demais para quem havia iniciado a jornada debaixo de muita chuva.    Tudo pronto !!!  Agora era só colocar a bike na estrada e começar a pedalar !!!     Putzz !!!    Assim que pequei minha bike notei que estava com o pneu murcho .    Com o conserto acabamos atrasando nossa saída.       Tudo certo !!!  Problema resolvido !!!    Logo no começo de nosso trajeto já nos deparamos com um subidão bem íngreme, foi foda porque nossos corpos ainda nem haviam esquentado, felizmente esse "paredão " era curto.      Desde o início o caminho pra Alagoa já nos ofereceu paisagens muito bonitas , inclusive outra vista espetacular da pedra do papagaio.         Vencido esse primeiro subidão tudo se tornou mais fácil ,e o restante do caminho foi bem gostoso de se fazer.   Era a combinação perfeita , pequenas e suaves elevações ladeada por paisagens bonitas.           Como o trajeto era light , chegamos relativamente rápido em Alagoa, correu tudo bem só pequenas paradas aqui e alí para fotos , reagrupamento ...and of course to piss ...rss....rss...  Chegando na cidade fomos imediatamente procurar um almoço reforçado e gostoso.         Durante o almoço pedimos informações sobre o trajeto, nos disseram que enfrentaríamos uma subida de 15 kms, mas que não nos preocupássemos pois seriam subidas suaves e pouco íngremes.    Huuumm !!!   Já fiquei com o pé atrás , e com a pulga atrás da orelha ao ouvir as palavras " subidas suaves ".     Já ouvira essa palavras outras vezes , sempre ditas por motoristas , e não ciclistas , e naturalmente já havia "entrado pelo cano " .      Fazer o quê !!!   O negócio era seguir em frente e para cima e conhecer de perto a tal "subida suave "....rss...rss....   Começamos a pedalar no subidão de 15 kms , de fato eram pouco íngreme , porém já estávamos com o cansaço acumulado de 3 dias , e sendo assim o esforço foi muito sentido.      Os meus companheiros de jornada foram relativamente bem , mas eu sentí muito, muito mesmo , mas por incrível que pareça não foram as pernas que me deram trabalho , e sim minha bunda.      Caramba !!!    Haviam certos momentos que doía muito , tinha que mudar de posição toda hora , mas mesmo assim o alívio era apenas momentâneo, não havia posição que desse certo, cheguei até a cogitar de pedir o gel de arnica do Jeffinho emprestado e ,passar no traseiro, mas fiquei com vergonha ...rss....rss....       A única coisa que valeu foi descer da bike e empurrar por alguns minutos, parecia que assim o sangue circulava pelas nádegas e a dor passava.       Depois era só voltar a pedalar, e aguentar os doloridos até onde desse , não houve jeito , tive que alternar , caminhada com pedalada até chegar no topo.   Esse trecho foi dureza,mas tudo bem, poderia ser ainda pior...podia estar chovendo ...rss...rss..         Aos trancos e barrancos acabei finalmente chegando no topo.    Uffa !!!   Que alívio !!!      Mal acreditei que o tal "subidão suave " havia terminado.      No topo descansamos um pouco , tiramos algumas fotos , e logo a seguir fizemos o downhill até o trevo de Berta.        Até o trevo foi uma delícia , só descer e descansar, mas sempre com extremos cuidados pois a estrada estava com muita escória e pedras soltas.         Chegamos no trevo , onde tivemos que esperar um pouco pelo Olaf , que havia passado direto.        A Alexa foi atrás dele , e felizmente pouco tempo depois já estavam de volta, ele havia se entusiasmado com a descida e foi embora....rss...rss..      Entramos na estradinha que dá acesso a Monte belo , 2 irmãos e santo Antônio do rio grande.     Essa estradinha é show, e logo no começo já nos ofereceu paisagens muito bonitas, embora seja extremamente deserta.         Assim que passamos por Berta , nosso amigo Olaf tomou um capote numa curva cheia de escória.    Felizmente não foi nada grave , só muitas escoriações nas pernas e nádegas, porém para ele e Alexa o passeio terminou por ali, arranjaram uma carona numa Kombi , e seguiram juntamente com suas bikes , em direção a Itamonte , onde Olaf receberia os primeiros socorros.         Uma pena !!!    Pois nossa viajem , apesar dos momentos de perrengues , estava sendo muito agradável e, a companhia dos 2 era ótima , eu e Jeffinho sentiríamos muita falta.          Porém pedalar , e principalmente chegar em santo Antônio , era preciso.       Para mim e Jeffinho não houve opção , pois não haviam pousadas em berta , e muito menos em Monte belo , se não conseguíssimos chegar precisaríamos dormir ao relento ou pedir pousada em alguma casa, coisa que não queríamos de jeito nenhum.       Fiquei meio apreensivo e receoso , pois já era meio tarde , e a estrada extremamente deserta e cheia de subidas e com a serra dos 2 irmãos no meio.            Não houve jeito , apesar de já estarmos com as energias meio esgotadas , tivemos que torcer o cabo e seguir em frente.      O Jeffinho me deu umas palavras de incentivo , e acabei , não sei como , pedalando relativamente rápido e bem.    Talvez o mêdo de passar a noite ao relento , no frio , no mato e debaixo de chuva tenha me dado uma descarga adicional de adrenalina ....rss....rss..... O fato é que "torcemos o cabo " e rapidinho já estávamos em Monte belo , ali comi rapidamente umas bananas com coca cola e a seguir  pegamos novamente a estrada.       Enfrentamos inúmeras subidas e , ao nos aproximarmos da serra dos 2 irmãos a chuva nos pegou, vestimos nossa capa e seguimos em frente.      Subimos bastante, e finalmente chegamos no topo.      Fiquei feliz de finalmente ter chegado no alto da serra, que alívio , a partir de agora seriam só descidas, bom demais.     Puttzz !!!  P.Q.P.!!!   Foi rebate falso...comemoramos antes da hora....rss....rss... É amigos !!! Ainda tivemos que subir um pouco mais, mas felizmente nada muito cascudo ...rss...e além do mais dessa hora em diante foi me dando uma paz e resignação,e já não estava esquentando com mais nada, fosse o que Deus quisesse, resolví seguir o exemplo do Jeffinho e estar sempre calmo e tranquilo.     Relaxei bastante , passei a apreciar a chuva , as paisagens com   cerração e o pedal propriamente dito, estava sendo bom demais, uma experiência e tanto.          Dessa vez era mesmo verdade , finalmente chegamos no topo.    De lá tivemos uma vista muito bonita do vale do rio Grande , bem longe e bem abaixo.      Iniciamos o down-hill   descer essa serra foi uma delícia, parece que foi feita sob medida para praticar mtb.      A descida foi demorada e feita com muito cuidado , porque haviam trechos técnico e meio perigosos , além disso o local é extremamente deserto, se nos acidentássemos alí seria difícil obter ajuda.        Terminado o descidão  a estrada se tornou praticamente plana e, acompanhava o rio Grande, passamos por lugares bonitos com muitas matas e cachoeira, porém já estava tarde e começando a escurecer não deu para parar e visitar as cachoeiras.          Esse trecho plano também nos pregou uma peça, pensamos que logo ao descer a serra já estaríamos perto de santo Antônio, mas não foi bem assim, ainda tivemos que pedalar muitos kms , muitos mesmos , até chegar.       Já estava anoitecendo quando finalmente chegamos em santo Antônio, nos superamos ,  sofremos um pouco e nos cansamos bastante , mas conseguimos, graças a Deus , deu tudo certo.         Encontramos um pousada simples , porém confortável , onde finalmente tivemos descanso , banho quente , uma deliciosa janta, e o melhor de tudo , camas macias , confortáveis e quentinhas , onde finalmente pudemos repousar.                                                                                                             


    Na saída de Airuoca tivemos outra bonita vista da pedra do papagaio.
    Passamos por lugarejos bonitos .
   Ao longe a serra verde.

     Até que chegamos rápido em Alagoa.
    Vista parcial do subidão de 15 kms , da estrada Alagoa x Itamonte.
    É uma subida suave e pouco íngreme, lembra vagamente a do Mauá.
   Serra verde ao fundo, " subidão suave " ao lado.
    Topo do subidão.      Caramba !!!    Sofrí um bocado , mas conseguí, reparem como estou "derrubado".
   No trevo que dá acesso a Monte belo , 2 irmãos e Santo Antônio.
    A caminho de Monte belo.

    A região é bem preservada , e cheia de matas.
    Vista parcial de Monte belo.
    A estradinha parece que foi feita sob medida para a prática do mtb.


    Início do descidão que termina no vale do rio Grande.
    A região é belíssima , e bem deserta.


QUINTO DIA (ÚLTIMO ) : SANTO ANTÔNIO DO RIO GRANDE X MIRANTÃO X PONTE DOS CACHORROS X VISCONDE DE MAUÁ X MIRANTE DA TORRE X CAPELINHA X PENEDO X RESENDE RJ.

Mal acreditei que já  haviam  se passado 5 dias, foi tudo muito rápido , muitas aventuras em poucos dias , mas é assim mesmo quando fazemos o que gostamos a gente nem sente o tempo passar.      Agora já estávamos relativamente perto de casa , embora entre santo Antônio e Resende  existam vários e vários subidões e também a serra do Mauá , mas tudo bem , naquela altura dos acontecimentos nós já estávamos bem descolados e fortalecidos e , apesar do cansaço acumulado dos 4 dias anteriores , a perspectiva de chegar em casa nos motivou muito e forneceu um "gáz adicional " ...rss...rss....
Montamos nas bikes e seguimos em frente, e pra variar , de novo , novamente , mais uma vez ....rss...rss... já enfrentamos um subidão , de novo foi foda , esse era bem íngreme , porém como sempre acontece demos conta do recado e chegamos no topo , onde tivemos uma bonita vista da região logo abaixo.
Do topo da serra seguimos  rapidamente ( eram descidas ) em direção a Mirantão .     Novamente nos deparamos com paisagens magníficas , sendo que a minha preferida foi a vista da pedra selada , bem ao longe.     A estradinha em si , é ótima , uma delícia de se pedalar.    De fato essa é uma região muito bonita e , para cada lado que se olhasse haviam lugares bonitos.        Chegamos em Mirantão , apesar de cansados , nem paramos pois queríamos chegar logo em casa.      Continuamos nosso pedal  e de repente nos deparamos com 2 ciclistas , que estavam hospedados em Maringá , conversamos um pouco e eles nos acompanharam durante algum tempo.       Chegamos num trecho em que havia um subidão , felizmente pouco íngreme.       Tiramos de letra essa subida e , pouco tempo depois já estávamos chegando na ponte dos cachorros, dalí até Mauá foi rapidinho.        No Mauá fizemos uma rápida parada para lanche e descanso , repor as energias era preciso , porque os subidão de 4 kms até as torres , com certeza exigiria muito de nossas pernas já desgastadas devido aos 4 dias de pedal.          Energias repostas era hora de seguir em frente , ou melhor dizendo , seguir em frente e para cima , pois o subidão da torre é bm íngreme.
Iniciamos a subida , como sempre o Jeffinho foi super bem .     Confesso aos senhores  que novamente senti muito, talvez devido ao alto grau de inclinação , meu traseiro e pernas começaram a doer muito , mas dessa vez fui bem determinado , engrenei a coroa do meio e subí num ritmo médio porém constante.     As pernas pareciam estar queimando e o traseiro doía qualquer que fosse a posição no selim , mas mesmo assim não me deixei abater, mantive a força de vontade e determinação e não empurrei a bike hora nenhuma.      Putz !!!   Foi dureza !!!    Finalmente cheguei no mirante da torre !!!     A partir daí uma sensação de alívio e de dever cumprido já foi tomando conta de mim , agora seria moleza , só um descidão até capelinha , e de lá até Resende seria facinho...rss...rss....    Ahhh !!!!     Que delícia !!!!      Descí descansando , sempre sentado no selim , numa boa só repousando e recuperando energias...rss...rss...   Rapidíssimo chegamos na Capelinha e , de lá seguimos rapidamente para Penedo.       Nesse útimo trecho , apesar do descanso proporcionado pelo descidão do Mauá , o cansaço se fez novamente sentir.       Todas aquelas subidinhas que eu estou acostumado  a fazer sorrindo e muita das vezes usando o coroão , dessa vez eu fiz sofrendo, cada pequena elevação faziam com que as pernas doessem , mesmo usando marchas leves.       Felizmente agora já estávamos bem perto , seriam questão de minutos , para estarmos novamente em casa. 
Caramba !!!    Mal acreditei que tinha chegado no Penedo !!!     Viajar é bom , mas voltar pra casa é ótimo , principalmente quando se viaja de bike ...rss...rss.... Me despedi do Jeffinho e segui para Resende .   Cheguei em casa exatamente 12:15 , bem a tempo de almoçar ...rss...rss...
MISSÃO CUMPRIDA !!!
ESSE TIPO DE AVENTURA SÓ SE TORNA POSSÍVEL QUANDO TEMOS AO NOSSO LADO PESSOAS ESPECIAIS , AMIGOS QUE ESTÃO SEMPRE PRONTOS PARA O QUE DER E VIER.
HORA NENHUMA FALTARAM  SOLIDARIEDADE , COMPANHEIRISMO E PALAVRAS DE INCENTIVO.        VALEU !!!    OBRIGADO JEFFINHO , ALEXA E OLAF !!!     SÃO AMIGOS COMO VOCÊS QUE NOS FAZEM OLHAR PARA CIMA E ACREDITAR QUE POSSÍVEL.


    Do alto do subidão tivemos uma última vista de santo Antônio.
    A visão da pedra selada nos indicava que já estávamos nos aproximando de Resende RJ.

    A região do Mirantão é muito bonita.

    Essa estradinha é ótima , uma delícia de se pedalar.

5 comentários:

OFF ROAD BIKERS disse...

Que maravilha amigo!!!! Deu muito vontade de ter ido com vocês, pena que ainda não foi desta vez. Mas oportunidades viram! Parabens a Você (Jorge), Alexa, Jeffinho e ao irmão da Alexa.
Abração

Michel Schanuel Girardi disse...

Que bela viagem! Me deu vontade de jogar a mochila nas costas, botar a bike nas trilhas e partir!

As fotos estão sensacionais. Aguardo o restante dos relatos, que por sinal estão ótimos.

Um abraço

prisn disse...

Aeee cara, muito legal esse pedal de vocês! Pena que o casal não pôde continuar. E essa sensação de alívio depois de enfrentar "a maior subida do mundo" é muito gostosa... rsrss
abração e bom pedal!
Priscila, a cicloturista
e Valentina, a magrela

Jorge disse...

PARABÉNS AO QUARTETO PELO BELO PASSEIO, AS FOTOS ESTÃO ÓTIMAS E O RELATO MUITO INTERESSANTE. QUANTOS KM NO TOTAL? CONFESSO QUE EU PRECISARIA DE MAIS UNS DOIS DIAS, KAKAKAKAKAKA
ABRAÇO MALAFRONTE.

Silvania Tatajuba disse...

Nossa ! ! ! Que Legal ! ! !rsrs...Parabéns! O relato foi ótimo de ler e eu me imaginei na aventura tb...Talvez em uma outra existência eu venha preparada para algo tão especial...Abraços em todos...