sábado, 6 de maio de 2017

Existe um mundo bonito lá fora , saia da zona de conforto e aventure-se. Cachoreirão de Carlos Euler e cachoeira do escorrega num prazo de poucos dias


   Sempre gostei muito de estar em meio à natureza e quando descobri o mountain - bike foi paixão à primeira vista  porque a bicicleta de montanha é versátil e possibilita atividade física integrada com a natureza, sendo assim  vi na bike  a possibilidade  de praticar um esporte  que exige bastante fisicamente , mas que por outro lado  permite que eu vá longe  dentro de um tempo relativamente curto  e assim possa desfrutar das inúmeras belezas naturais de nossa região.  Comecei devagar e aos poucos ,graças aos incentivos do amigos  , acabei indo cada mais longe e fiz alguns pedais memoráveis que renderam momentos divertidos, boas recordações e , é claro, alguns perrengues quase sempre superados. Devido as inúmeras aventuras ao longo desses anos  posso afirmar que conheço bastante  a região , mas mesmo assim , apesar de já ter pedalado muito por aí , tanto só quanto na companhia dos amigos ,  ainda restam  lugares  inéditos esperando pela minha visita e dois desses lugares ainda não conhecidos por mim eram a cachoeira do escorrega no espraiado e o cachoeirão de Carlos Euler, ambas situadas no município de Passa Vinte mg , uma simpática e bonita cidadezinha  que fica próximo de Resende rj.  cidade onde moro.
Pois bem , conhecer essas 2 cachoeiras  de bike seria um desafio bem legal , mas que exigiria um bom preparo físico, disposição  e muita raça  Um pouco de falta de juízo, especialmente quando pedalamos só , nesses casos também é bom  porque se ficarmos pensando muito , principalmente na dificuldade do trajeto e no cansaço  a gente nem sai de casa.   Porém no meu caso , felizmente , não sou de ficar pensando muito, decidi sair e conferir na prática o que me aguardava.     Dei sorte porque  tivemos muitos feriados e eu estava  bem fisicamente  e sendo assim não havia desculpas  decidi aproveitar os dias livres  pra conhecer as duas novas cachoeiras num curto espaço de tempo. Felizmente deu tudo certo , cumpri meus objetivos e conheci os lugares que queria.  Seguem pequeno relato e algumas fotos para que saibam como foi.
CACHOEIRA DO  ESCORREGA :  essa cachú , apesar de ter o mesmo nome , não é tão famosa nem tão vistosa  e frequentada quanto àquela de Maromba na região de visconde de Mauá,  muito pelo contrário é desconhecida  e  parece que os donos e moradores da região  preferem que continue assim  mesmo, pois pra chegar lá não tem nenhuma placa indicativa e o acesso é feito pulando se  uma cerca trancada com corrente e cadeado.    Chegar lá, de bike, à partir de Resende é relativamente fácil pois o único subidão de responsa ao longo do caminho é o do serrote que é cansativo porém curto , de resto são subidas suaves e de brinde o belo visual da serra da carapuça ao longe , no distrito do espraiado onde se localiza  a cachoeira .  É uma cachoeira bonita, tem pouco volume de água , no entanto as pedras e o pequeno poço e escorregador natural fazem um belo visual.   Eu gostei !
CACHOEIRÃO DE CARLOS EULER : essa é de longe uma das mais  bonitas  e grandiosa quedas dàgua  que  conheci  porém não foi  nada fácil   chegar lá . Na verdade havia  um bom tempo que estava pensando em conhecer essa famosa cachoeira , mas sempre por um motivo ou outro acaba postergando a visita.   Decidi aproveitar os dias livres pra finalmente realizar o ambicioso pedal , mas mesmo assim posso afirmar que  essa visita ao cachoeirão foi meio  inesperada pra mim porque o dia escolhido para a visita  amanheceu  bastante chuvoso e eu fui pego de surpresa , pensei que o pedal até Carlos Euler  não seria possível, mas mesmo assim, afim de treinar um pouco,  decidi sair de casa e  pedalar até Vargem grande, chegando lá a chuva parou e resolvi esticar até a Fumaça, enfrentei muita lama e chuva fina até chegar lá , mas cheguei.   De lá , após um lanche reforçado , novamente mudei de idéia e optei por pedalar mais alguns kms visto que a chuva havia parado , seguiria  em frente e fosse o que Deus quizesse.   E assim foi , com  bastante disposição , muita lama  e  ameaça de chuva a cada instante acabei  alcançando o sopé da serra da carapuça , onde após alguns  momentos de dilema  e indecisão acabei por deixar  os receios em relação as condições climáticas de lado e optei  por  pedalar  fortemente e  enfrentar o famoso subidão da serra da carapuça  e assim alcançar Carlos Euler , lugarejo onde se localiza o cachoeirão.    Na verdade naquela altura dos acontecimentos  eu e minha bike já estávamos totalmente sujos de barro , e apesar de estar cansado  devido a lama e terra molhada que deixou o pedal mais pesado , estava com o corpo aquecido e  pensei comigo mesmo que algumas horas a mais ou a menos  de perrengue já não fariam tanta diferença.    Segui em frente e acima , enfrentei a serra , subi bem e relativamente rápido  porque  não havia sol e a temperatura  estava um pouco baixa,   fatores esses que facilitaram  muito meu pedal.    Assim que alcancei o trecho calçado, logo após atravessar a linha de trem , fiquei super feliz  porque sabia que havia chegado.    Em Carlos Euler não perdi tempo ,  fiz apenas um lanche rápido porém substancioso, a fim de recuperar as energias consumidas na subida da serra , e rapidamente segui em direção à cachoeira.    Pedi algumas informações , atravessei porteiras trancadas,  enfrentei cerca de 1 km de trilha com muita lama , estrume e mato alto e de repente   avistei parte da famosa cachoeira,  nesse momento percebi que todo esforço valera, e muito, a pena , pois a queda  é belíssima , muito alta ( cerca de 83 metros ), muito larga   e com bastante volume de água , tudo isso em meio a enormes pedras negras e  trechos de mata.   Em resumo: é uma cachoeira alta , numa região alta , certamente valeu a visita e portanto posto aqui algumas fotos para também conheçam , mesmo que virtualmente. 
É isso aí amigos : mais uma vez decidi  sair da zona de comforto , matei minha curiosidade de conhecer lugares novos , entrei naquela estradinha deserta, subi a serra , atravessei o rio , pulei a porteira e entrei nas trilhas da vida e consegui chegar onde pretendia.   Conheci  mais 2  cachoeiras bonita   e superei desafios, o corpo ficou dolorido e o cansaço chegou, mas como sempre ficaram excelentes recordações , boas fotos e aquele gostinho de quero mais .

Nenhum comentário: